terça-feira, 24 de julho de 2012

SOBRE A PEDRA E O SAL


Tenho que chorar.
Minhas lágrimas de pó agora
se infiltram em meus olhos
desejosos de não responder a dor,
mas minha voz trêmula
não esconde o sal que rega minhas retinas.
Tenho que chorar.
Deixar que escorram
meus sentimentos mais odiosos,
minha vontade de que morram
todos aqueles que não me ouvem.
Tenho que chorar.
As lágrimas escorrem como pedras
e eu me entrego a elas.
como alguém que morre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário