quarta-feira, 9 de maio de 2012

SOBRE O AMOR E COPACABANA (Para H. A.)



Passa depois, quando o inverno já tiver passado por mim,
Quando as ruas estiverem mais quentes,
E eu for capaz de dizer não aos seus desejos.
Passa depois, quando o gosto do seu beijo,
For só uma lembrança morna na minha boca
E eu for capaz de silenciar minha vontade louca
De prender você na minha língua.
Passa depois, quando a saudade já tiver se retirado
Dos meus dias nublados, da minha cama vazia,
Dos meus cabelos desarrumados e da poesia.
Passa depois, quando o café já estiver frio,
Quando Copacabana não for mais o Rio,
Quando a gente for pra valer.
Passa depois,quando eu já não estiver tão nua,
Quando eu não for mais tão sua,
Sempre pronta pra te receber,
Quando tiver algo mais a dizer.
Passa depois, quando tudo estiver calmo aqui dentro,
Quando eu puder vislumbrar outro tempo
Que não esse, cheio de tempestades e ventos.
Passa depois de tudo isso acontecer,
Depois, que eu tirar esse seu cheiro de mim,
E quem sabe assim, eu possa passar por você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário