quinta-feira, 12 de abril de 2012

EXPECTATIVA

Eu já esperei muito tempo que os dias passassem,

já esperei demais portas se abrirem, cortinas se fecharem,

a noite cair, a fogueira acender, a bebida gelar, o isqueiro funcionar.

Esperei muito tempo até que meus olhos se abrissem,

que meus pés entendessem as pedras pontiagudas do caminho.

Esperei por horas um telefonema, uma canção

que tivesse meu nome, um brinde em minha homenagem.

Esperei ser amada, ser traída, ser sujeitada, ser demolida, ser punida,

ser agarrada, mordida, ferida...Sempre esperando o lobo mau chegar.

Esperei na fila do cinema, na borracharia, no banheiro,

na calçada, no ponto de ônibus, em casa.

Eu já esperei filho, duas vezes, já esperei leite secar,

fralda coarar, mamadeira esfriar, pediatra chegar,

febre baixar, criança arrotar...

Já esperei em fila de padaria pelo pão fresco,

pelo doce de abóbora com queijo e a broinha de fubá.

Eu já esperei arrumada, descabelada, de calcinha.

de escova, de baby liss, de dente escovado,

limpinha, fedida, cansada, acesa...

Já esperei um beijo, um toque, um afago,

um olhar, um motivo, uma madrugada...

Já esperei alguém chegar, alguém partir,

alguém chorar, rir, morrer de rir,

rir até explodir!

Eu sempre esperei o fim do filme, do livro,

da história, da novela.

Sempre esperando e esperando chuva, sol,

vento, mansidão...

Eu já te esperei tempo demais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário